Minha entrevista com Yineth

Há um mês e meio estou no processo de conhecer minha comunidade: A cidade de Istmina, a região de San Juan e a Igreja Irmãos Menonitas e  ministérios sociais, os quais vou acompanhar como Semillera. Durante este tempo de conhecimento de transição, Yineth minha vizinha e irmã na igreja, tem me ajudado bastante.Ela me concedeu essa entrevista para que possamos ouvir sua perspectiva da igreja e da comunidade.

Poderia começar se apresentando?

“Meu nome é Yineth del Carmen Moreno Borja. Sou da Igreja de Jerusalém dos Irmãos Menonitas de Istmina, nasci em Basurú, Chocó e moro em Istmina desde 1985. Sou casada, tenho dois filhos e sete netos.”

Qual tem sido seu papel na igreja e na comunidade?

“Bom, meu principal ministério na igreja é o de trabalho social. E quando visitamos as comunidades, também fazemos trabalhos sociais. Esse é o meu ministério: servir na minha igreja e em qualquer lugar que eu vá.”

Como você vê o trabalho da igreja aqui na comunidade?

“Bom, se digo que o trabalho da igreja é bom, podem dizer que digo isso porque é a minha igreja. Mas na verdade temos um bom testemunho como Irmãos Menonitas diante da comunidade de Istmina e em outros lugares também.  As pessoas amam o evangelho, como o pregamos e como nos aproximamos delas. Quando recebemos pessoas que não fazem parte da nossa igreja, nós oramos por elas e se estão passando por alguma necessidade, procuramos como igreja, de alguma forma, ajuda-las.”

Para as pessoas que lêem este blog e que não são de Chocó, o que você gostaria que elas soubessem sobre Istmina, sobre essa região e sobre a igreja?

“Bom, aos que não conhecem o departamento de Chocó, gostaria de convidá-los a conhece-lo. Fora daqui existe uma visão muito ruim de Chocó, as pessoas pensam que vivemos na selva. Aqui em Chocó temos rios lindos. Gostaria que viessem para terem outra visão do que é Chocó e do que é Istmina. Somos pessoas muito amáveis e os receberemos com muito amor. Minha igreja e toda nossa região se esforçam para serem generosos e ajudar em situações externas. Visitamos comunidades e os apoiamos quando estão em dificuldades, e com a ajuda do Senhor, procuramos ajudar a curar, nem que seja um pouco, suas dores e feridas.”

Última pergunta: Você tem visto mudanças em Istmina nos últimos anos?

“Quando me mudei em 1985 para Istmina, ainda era uma cidade pequena. Agora tem crescido por conta de tantos deslocamentos de comunidades. As pessoas vêm para Istmina, constroem suas casinhas e lutam aqui para trabalhar e sustentar suas famílias. Isso tem trazido evolução à Istmina. E como igreja, estamos mudando porque nosso trabalho é também com pessoas de fora. E isso nos ajuda a mudar e melhorar.”

Agradeço à Yineth por me conceder essa entrevista!

Tenho sido impactada ao ver todo o empenho de pessoas como Yineth em servir a comunidade e apoiar a outros. Também me impressionou o desejo que muitas pessoas têm de compartilhar uma outra visão da região, como disse Yineth, combatendo visões negativas. Com este blog também espero mostrar uma visão mais complexa que inclui as riquezas desta região e de seu povo.

Traduzido por: Carolina Gouveia